domingo, 5 de janeiro de 2014

Sonhos de Ninguém


Tombam de mansinho, as gotas de chuva, espelhando o chão à minha passagem
E num tributo à vida,  felicito o colírio de cor, no pavimento reflectido
Ignorando o cinza do firmamento, sigo a rota morosamente  
Que a pressa é estouvada e inútil  também
 E nesta fresca manhã de Janeiro, 
Delicadas flores dormem sob tufos de trevos cristalizados
Neste passeio de ilusões sonho, sonhos de ninguém e despejo fantasmas do passado
Numa magia infinda, toco a inocência, aspiro a felicidade  e retorno à adolescência





5 comentários:

francelina filipe disse...

Olá Aninha meu bem , que a vida te seja a coisa mais bela, e com ela possas alcançar todo o bem que ainda tens a receber.
Votos de um feliz e santo dia, boa semana com beijinhos de luz e paz.

Nita Oliveira disse...

Gostei muito de ter passado por aqui. Vou ficar.
Beijo.
Nita

Evanir disse...

A vida é um eterno recomeço,
uma viagem que se inicia,
e não devemos perder a esperança
temos que continuar,
mostrando a todos a nossa fé,
e a nossa capacidade de refazer o que se desfez,
e reconstruir o que se perdeu.
Muita paz para sua vida.
Beijos e meu eterno carinho.
Evanir.

São disse...

Linda imagem. com um belo texto.

Eu, com esta estória do google, não me entendo e nunca sei se os comentários entram e nem onde ficam, quando isso acontece.

Portanto, desde já as minhas desculpas se e quando ler algum comentário fora de contexto

Saudações

Ives disse...

Parece que a chuva chegou como um doce espelho! abraços