quarta-feira, 29 de abril de 2015

Sorrisos

Quero sorrisos de mil cores
Tais campos enfeitados de flores
Sorrisos amplos, abertos e brilhantes
Sorrisos que me façam renascer 
fuzilando meus prantos
Quero sorrisos de diálogos articulados
Que me falem de vida, de cada instante, de amor
da morte do renascer, de poetas a vercejar
Quero sorrisos esculpidos de ternura em alucinante rotação
Apenas para sentir a carícia de um sorriso à deriva 
Espalhando amor e paixão 
Quero sorrisos alegres, estonteantes que me façam sorrir como d'antes
Quero enxergar que a desgraça não passa de uma trapaça
E na ilusão de um sorriso, sem travão, sonhos sonhar
E descarrilando  vou sorrindo com o coração
Finalmente...
Quero sorrisos rasgados, latentes, insanos, desmascarados
Queimando de desejo num manso crepitar minh'a alma embriagada
Na urgência de plasmar de sorrisos o azul celestial
Volvo a sorrir, com alma de menina acreditada
E na ausência de lágrimas, sorrio sorrisos de amor
Sem dilemas ou reticências abraço o mundo e sinto-me afortunada
Nesta utopia por mim imaginada 

2015 Ana Simões




Sem comentários: