domingo, 30 de outubro de 2011

As estrelas da Serra






Amanhce devagarinho
E estrada fora avanço
Direção: Serra da Estrela
Só quando a avisto descanço
É sublime o panorama
Deste canto de Portugal
Onde o Outono pinta a rama
De ocres quentes sem igual
A aragem sente-se fria
A chuva murmúra baixinho
A neve está a chegar
Os Cântaros encobertos de bruma
O silencio magistral
Imperam nesta montanha
Uma magia sem igual
Sinto-me menina e vou brincando
Saltito de penedo em penedo
Decifro os Deuses de pedra
Acarício a árvore despida
Percorro os caminhos do Zêzere desitratados
Pisco o olho ao céu de nuvens carregado
É a esperança renovada
Da mão amiga de Deus
Consertanto os erros por nós aplicados
Em plenos pulmões gritarei
Parai por favor parai
Vigilantes devemos estar
Se  assim continuarmos
Onde toda esta beleza irá parar???
Ana Simões

No Covão D'Ametade onde corria o rio Zêzere caminhei por não haver poça de água
A Barragem de Vale do Rossim quase igual...
É triste ver assim o nosso "mundo"
Há que o cuidar melhor se não o queremos ver morrer...
O homem é o único "animal" que destroi o seu próprio habitat :(

Sem comentários: