quinta-feira, 5 de junho de 2014

Dia Régio ( hoje é o dia...)

Caminha confiante, bem direcionada
Sem exceder a velocidade e de alam controlada
Vai ao encontro de luz e cor, destemendo quaisquer dor
Seus pensamentos vagueiam à toa, sem resposta encontrada
E assim ruma... determinada, seguindo seu coração, numa fé desenfreada
Em alva paz mergulhada... sem saber explicar...apenas sente...
Com o propósito e a força regente...de quem O sente presente
E nesta doce quietude... oclusa todos os sonhos, que um dia sonhou...
Para, não mais que só almejar...A efectivação de um sonho
Que  sem embargo ou ilusão, nesta  perfeita paz  alcançada
Divinamente arquitectada, neste dia régio...Sonhou! 





1 comentário:

Nilson Barcelli disse...

Palavras soltas que vão fluindo ou não, o certo é que a tua poesia tem qualidade.
Este poema é excelente, minha querida amiga.
Tem uma boa semana.
Beijo.

PS: Ana, não te preocupes com a frequência de visitas, pois eu só publico 1 poema por semana (aos sábados pela hora do almoço). E, por isso, virei cá também 1 vez por semana. É o meu ritmo, não tenho tempo para mais...