terça-feira, 24 de junho de 2014

Gratidão


Vida matizada, por cores por mim nunca avistadas
Vou bamboleando por caminhos em veredas conquistadas
Num mundo enfeitado de glória  pronto a florir...
Voa meu coração muito mais além... ignorando  o corpo enfraquecido
E... sem pressas mas com fervor, alcanço triunfante lugares nunca idos
Num mundo novo vestido de brilho desperto meus sentidos
Sussurro aos céus minha gratidão e a Ele presto homenagem
De olhos arregalados espreguiço meu olhar tecendo meu sonhar...
Entre eras verdejantes que minha mente enrama
Abraço a natureza que me inspira...
Pinto de rosa minha tez
Migrou de mim a tristeza
E feliz... me meninei outra vez! 



1 comentário:

Nilson Barcelli disse...

Gostei imenso deste teu poema.
Mas ainda não li mais nenhum...
Um beijo, Ana.