terça-feira, 21 de maio de 2013

Sonho de Prata

O homem sonha acordado
Sonhando a vida percorre
E deste sonho dourado
Só acorda quando morre.
" António Aleixo"

E eu... Pintei tardes de cinza e prata
Cristalizando o tempo à luz do sol poente
Por suspensas pontes percorri caminhos
Serrando meus olhos de sonhos ausente
Cansada, esgotada de sonhar deixei
E se morta estou...ignoro...não sei...
Lancei ao vento sementes de ilusão
E ao meu fado doei meu coração
Perdi-me de amargura  e sem remissão
Num  agrado de ternura...Rendi-me...
E ao sonho retornei com sofreguidão
Que velejar na vida e não sonhar
É rumar prá morte antes da mesma chegar


1 comentário:

Franciete Filipe disse...

Olá Anita querida adorei com todas as letras, tudo que aqui foi postado e neste sonho tão lindo nunca se deixe adormecer vá sempre lutando contra tudo e contra todos mesmo só em pensamento o dia grande ainda está para chegar.
Beijinhos de luz e muita paz na vida.