terça-feira, 4 de novembro de 2014

Não te quero assim

Não te quero assim!!
Entreguei minha alma adormecida
Vesti meu coração de ilusão
E num grito de  libertação em silêncio
Decido sem reservas
Não te quero assim!
Enxergo o que de nós restou
Nessa noite longa sem fim
Espera infecunda duma esperança abandonada
Teus passos esquecidos
Nossas pegadas desencontradas
Por caminhos opostos marcados
Dois leitos vazios...separados
Duas almas fustigadas..corações sofridos, maltratados
Sentimentos abandonados
Enxergo o que de nós restou, duma cálida noite de Verão
E complacente distingo
De nós apenas ficou
Tuas pegadas e solidão

Ana Simões


Sem comentários: