terça-feira, 13 de novembro de 2012

Quando quase nada é tanto...



12/4/2012

Ontem eu era menina 
De olhos tristes de dor sem esperança
Lavava roupa num riacho inclinado
Brincava com girinos e mascava azedas em flor
Sonhava com o príncipe encantado
Ansiando por  gestos de amor
Ontem, eu era menina 
De vestes simples lavava o chão
Cobiçando a luz do sol numa tarde de Verão
Ontem eu era menina
E com ternura e admiração
Mirava aquela velhinha de mãos enfarinhadas 
Amassando o pão
E o odor a lenha e pão me embriagavam
Contorcendo a saia ansiosamente
Esperava a fornada que não mais acabava
Depois... a minha espera era compensada
A doce velhinha acercava-se de mim
De mãos trémulas e  enrugadas
Com meiguice no olhar
Num gesto de ternura me entregava
Um pão cheiroso a fumegar
Envolto em branca toalha rendilhada.

Obrigada Ti Kitas

Ana Sousa Simões





Sem comentários: