quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

16/2/2012

Ergui o olhar em direcção ao céu
... Atordoada; fechei os olhos por um instante
Senti um turpor cálido
Copas de árvores
Matizavam o firmamento
Num rumor vegetal
Frescas, deleitosas
Absorta; perdida no eco da Natureza
Torno á realidade
E alegro-me porque o sol brilha
Elevo-me no imenso azul do céu
Observo as folhas que bailam ao vento
Escolho a mais bela, a mais firme e digo:
Aquela sou eu!
 

Sem comentários: