quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

18/2/2012

Serei alva pintura em tela esquecida
Barca envelhecida á deriva
Serei gaivota sobre o mar
Pegada perdida ao luar
Serei vida inacabada
Por medo ou cobardia
Por fraqueza ou valentia
Serei ausencia; melancolia
Prisioneira de dor atroz
Serei tudo serei nada...
Mas não calarei minha voz

 Ana Sousa Simões

Sem comentários: