domingo, 20 de outubro de 2013

Existência



Em cada dia senti o pulsar da vida
Palmilhando caminhos direitos ou às avessas
Numa jornada sem pressas
Por hoje...Pintei minha vida de mil cores
E no limiar da nostalgia roubei a chave à alegria
Bendigo meu nascimento; lambendo as feridas do dia a dia
Deixei-as dormindo uma a uma...e hoje; só por hoje...
Não faço... nem espero... promessas

Sem comentários: