terça-feira, 24 de janeiro de 2012

15/1/2012

Quero
Viajar até ao centro de mim
Vaguear livremente
Sentir o que gente sente
Quero escutar a minha verdade
Sentir amor liberdade prazer
Quero solitariamente caminhar
Por trilhos passados onde só eu consigo chegar
Quero tornados e dilúvios vencer
Cruzar tempestades sem nunca temer
Quero a magia de um bosque encantado
Docemente descalça por ele deambular
Sentir em meu corpo a carícia do vento
Cerrar os olhos e sentir-me beijar
Quero encontrar o lugar onde abuliram fronteiras
Que não me impessam mais de viver
Quero
Simplesmente morrer...
E... súbitamente renascer
Quero
Existir, viver, ser...
E desta vez para sempre
Para sempre...

Sem comentários: