quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

20/1/2012

Nesta suave traquilidade
Onde me sinto cativa
Mutilada tolhida apertada
O silêncio burila minha angustia amordaçada
Nestas brumas marítimas
Flutuam sonhos suspensos
Sonhos que nada foram, já nada são
E nunca serão...
Nada mais...Só sonhos e solidão
 

Sem comentários: