quinta-feira, 10 de janeiro de 2013


8/10/2012

Águas espelhadas, ensolaradas
Desprovidas de memórias
Reflectem mágoas 
Em águas estagnadas
E neste silêncio magoado
Doì-me a ternura aprisionada

Sem comentários: