quarta-feira, 2 de janeiro de 2013


26/4/2012

Desbravo trevas seco pranto
Ao divino confesso 
Teu intento aceito
Mato a sede na Sua fonte...
E de fé renovada em doce encanto
Abraço a luz que emerge no horizonte.

Sem comentários: