domingo, 6 de janeiro de 2013


Quase nada resta
Salvo a luz reflectida 
Nos mínimos estilhaços
Firme ali prostrada
De ferida aberta
Sofrida enjeitada
Hoje já só espera
Quase nada

Sem comentários: